Sucesso!!!

  É chegada a hora de comemorar e você, é claro, nosso(a) companheiro(a) nessa caminhada, é convidado(a) a comemorar conosco.
  Batemos todos os récordes de acessos, comentários e, principalmente, inscrições para a capa do próximo mês.
  Estamos muito felizes.
  Que este mundo de encontros e desencontros, anseios e dúvidas, inquietações e emoções continue tendo este espaço para troca de experiência, construção de novas amizades e um eterno recomeço para todos(a) nós.

Um fraterno abraço!

Preconceito na Família

 Assim que voltei a morar com a minha mãe, depois de anos fora, uma tia veio nos visitar. Uma das primeiras coisas que minha tia disse foi:

– “Se vc quiser arrumar emprego aqui, vai ter que emagrecer, porque ninguém vai dar emprego pra vc gorda desse jeito! Tenho uma vizinha que está desempregada há um tempão porque é gorda. Aqui é assim.”

Fiz cara de quem nem ligou na hora, mas aquilo ficou martelando na minha cabeça. Aí, resolvi tentar a sorte – já que nunca vi alguém deixar de dar emprego a alguém competente porque é gorda – e fui atrás. Em dois dias estava empregada num dos melhores lugares que poderia na cidade. Mas, como não estava nos meus planos trabalhar daquela forma e sim por conta própria, fiquei uns dois meses e pedi demissão. Fui fazer o que realmente queria e quero.

Mas, dentro da minha família, sempre sofri algum tipo de preconceito. Quando eu era adolescente, vivia ouvindo da minha mãe (que é gorda): se vc não emagrecer, não vai arrumar namorado!

Estranho, a mesma mãe alguns anos depois pedia pelo amor de Deus para eu parar de ser tão namoradeira… alguma coisa estava errada. Ah, sim!!! Era o preconceito burro, que sempre cai à primeira prova, porque preconceito só faz mal a quem o tem, na verdade.

Já me casei três vezes (infelizmente nenhum dos três deu certo), mas nenhuma separação foi por eu ser gorda. Tenho um filho lindo, e, se tudo der certo, ainda pretendo ter o quarto marido.

Ser gorda (o) nunca impediu ninguém inteligente de ser feliz!

A gordinha de julho

  Andréa Muccillo, mais conhecida como Deka, foi selecionada para o mês de julho. Uma gaúcha que retrata o perfil da mulher brasileira, de muita garra.

  Andréa, fale um pouco sobre você.

  Falar de mim mesma é complicado, mas vamos lá. Bem, me chamo Andréa, apelido Deka, tenho 36 anos, faço aniversário nesse mês de julho, dia 15. Tenho um filho de 12 anos chamado Bruno, fruto de um amor na juventude mal correspondido. Sou apenas mais uma mãe solteira dentre as milhões que tem nesse mundão a fora. Amo-o muito, incondicionalmente. Ele é a razão do meu viver!

  Sou muito romântica, sensível, enfim, uma canceriana nata. Dizem que sou muito inteligente para uma ‘ lôra’ (brincadeira). Tenho um instinto maternal muito grande realmente. Sou super amiga, aquela companheira das horas boas e ruins, sempre disposta a ajudar no que for ao meu alcance. Sou sonhadora, solidária, libertária, justa, honesta pra caramba e guerreira. Tenho muita sede do saber, da evolução do nosso ‘ eu ‘ interior. Sou bastante espiritualizada. Gosto de estar comigo mesma, sou às vezes muito introspecta, adoro meditar, ter meus momentos de privacidade!

  Tudo parece combinar:

  tem a pureza de uma fada

  e um feitiço no olhar.

  Estou hipnotizado!

  Maravilhosa !

  Frase: “Tudo é fruto dos nossos pensamentos. Tudo é reflexo de nossa mente. Todos os estados mentais se reproduzem.”

  Contato: deka35muccillo@gmail.com

 

Como ser capa

Quer ser capa do Gordinhas Lindas?

Então você está no lugar certo.

Para ser capa você precisa:

* ser gordinha;

* ter um sorriso inconfundível;

* ser charmosa;

* ter mais que dezoito aninhos;

* mandar fotos de rosto e de corpo inteiro;

* enviar um texto sobre você;

* e se inscrever.

Obs.: Devido à baixa qualidade, infelizmente, não serão aceitas fotos de web cam.

Viu como é simples!!! Você poderá vir a ser a próxima escolhida.

Tendo todas estas características marcantes você deverá se inscrever enviando um e-mail para gordinhaslindas@hotmail.com contendo cinco fotos de você sozinha (só rosto, sentada, deitada, como quiser, lembrando-se que as fotos podem ser sensuais mas não apelativas), um texto contendo preferencialmente: apelido, idade, estado civil, cidade, o que gosta, o que não gosta, o que mais lhe deixa feliz e uma frase que represente seu estado de espírito ou sua vida.

Desejamos que você seja uma das gordinhas mais lindas do Brasil a ser a capa do próximo mês.

Você já deve ter ouvido essa frase

  “Eu acho que você deve emagrecer, porque uma pessoa tem que se gostar”.

  Parece que uma pessoa gordinha não se ama, não é bonita e ainda por cima está fadada a infelicidade pela falta do amor próprio. A sociedade preconceituosa tem que entender que ser gordinha não é um defeito e sim uma característica, onde apenas diferencia os seres humanos e não atribui restrições de viver em sociedade e ser respeitado.

  Eu fico extremamente chocada quando ouço a frase referida. A minha única resposta é a seguinte:

  Eu gosto de ser gordinha. Vou continuar sendo assim!