Categoria: Casos e Acasos

Ela ser bissexual eu aceito, mas gordinha não.

Eu e o Flávio ( nome fictício) já éramos amigos a no mínimo 3 anos, ele sempre me apresentou a seus amigos como a melhor amiga dele, tinha um orgulho imenso disso e eu me sentia mto feliz.
Com o passar do tempo eu me vi apaixonada por ele, ele que também era gordinho e muito carinhoso, um dia tomei coragem e acabei contando por e-mail.
Só que a reação foi muito diferente do que eu imaginava, ele foi indiferente, eu fui um pouco insistente e acabamos ficando. Começamos um rolo que durou uns 3 meses, só que ele nunca quis que ninguém soubesse e sempre freqüentávamos bares ou restaurantes pouco freqüentados por pessoas conhecidas.
Quando estavamos indo pro 4 mês de ‘rolo’ ele estava conversando com um outro amigo meu e disse que nunca sentiu vergonha por eu ser bissexual e sim por eu ser gordinha, que se eu emagrecesse alguns quilos ele se sentiria melhor em andar comigo.
O rolo acabou por ali e a amizade também.
Só que pude constatar que existem muitos homens assim, homens que não se encaixam no ‘modelo ideal’, que não são tão bem quistos pelas mulheres magras. Eles procuram mulheres gordinhas por achar que com elas conseguem sexo fácil. Acham ainda mais, que por não estarmos incluídas no padrão que a sociedade dita, estamos sempre com a auto-estima baixa.
Mas felizmente não são todos os homens são assim, conheci homens maravilhosos, que sabem dar valor no que a pessoa realmente é, e que tem prazer e sente atração por mulheres gordinhas.
Ainda não achei meu grande amor mas nunca sabemos o que está por vir!
Abraços.

Texto enviado pela nossa leitora e amiga Poliana.

Gordinha constrangida na entrevista de emprego

Meu nome é Imaculada Alves, tenho 42 anos, um filho de 16 anos moro em Belo Horizonte. Gostaria de relatar um fato acontecido comigo, que me deixou constrangida.
Fui responder anúncio de emprego a alguns anos atrás, para gerente de restaurante pois tenho experiência de anos, hoje ainda trabalho na função. Liguei para marcar a entrevista um senhor atendeu e combinou para a tarde. Quando cheguei ele me olhou e falou:

_ Se eu soubesse que você tinha este peso, não teria marcado, como iria imaginar uma voz sensual, um português perfeito, jamais iria passar pela minha cabeça que você é gorda.

Respondi a ele:

_  E quem disse ao senhor que gordas não são sensuais, e que são burras, idiota é o senhor que tenta atrair mulheres fingindo oferecer uma vaga de emprego, o que quer mesmo é uma amante, mais como é feio e muito velho não consegue de forma natural, ja eu “a gorda” como o senhor acabou de dizer, não preciso usar estas armas para conquistar ninguém e o senhor não me interessa pois mesmo com uma rede de restaurante e todo dinheiro que tem, esta gorda jamais teria coragem de dar um beijo se quer no senhor, pois além de ser preconceituoso, é muito babaca.
Sai arrasada, mais não me deixei abater e na semana seguinte já tinha conseguido uma colocação. Espero que esta minha história sirva para levantar a auto estima de muitas que passam por constrangimentos em entrevistas e na vida, não desistam somos capazes.
Eu me amo, amo o corpo que Deus me deu, e só tento melhorar por questão de saúde.

 

Texto enviado pela nossa amiga Imaculada.

Tô comendo às suas custas?!

É impressionante. Sempre que rola uma discussão em que um dos protagonistas é um gordinho, o fato dele ser gordo é o principal argumento utilizado para agredi-lo.- Você não tem cultura, não consegue pensar em nada mais do que malhar.
– E você é um gordinho.
– Pelo menos consigo comprar tudo o que eu quero sozinho sem precisar de papai e mamãe.
– Mas você continua sendo um gordinho.
– Tenho casa, carro, notebook, dinheiro, vou nas melhores boates.
– Tudo isso sendo um gordinho.
– É, um gordinho que consegue muito bem duvidar do mundo, até porquê eu penso com o cérebro, não com meus músculos.
– É…mas ainda é um gordinho.

Inteligência, dinheiro, bom humor, cultura, alegria, simplicidade, romantismo. Estas não são coisas que definem uma pessoa como legal? Ou alguém quase perfeito?
Tá bom, que ser gordo não é lá muito saudável, mas será que é um defeito tão grande á ponto de suprimir todas as qualidades de um indivíduo??
Indivíduo gordinho eu sei.
Hahahahahaha.
Parece que o único defeito de um gordo, é muitas das vezes ser gordo, até porquê este é o único argumento usado pelas outras pessoas.
Então seremos lógicos, se um gordinho que tem todas as qualidades citadas acima emagrece ele vira um semi-deus?

Fonte: Abutre e costela.

Dúvida de uma gordinha taxista

 

Olá, gostaria de uma orientação de um advogado, sou taxista, bem acima do peso e de seios fartos, trabalho em uma rádio táxi, e ao entrar na rádio você recebe um manual de regras, um contrato, nele diz que devemos trabalhar dentro de tais horários com camisa branca de colarinho, calça social preta e sapatos, pois bem, ando de acordo com as normas, só que uso camisas larguinhas por causa da minha barriga e quadril, e pelo fato de ter seios fartos fico com um preenchimento, sem decote, ás vezes quando estou dentro do meu veículo coordenadores vão até o mesmo para fiscalizar e falam que estou com a blusa mostrando a minha barriga, sendo que ás vezes a blusa levanta porque sou gordinha, agora eles realizaram uma reunião e decidiram que nós mulheres deveremos usar a camisa por dentro da calça e “não mostrando a barriga”, me senti discriminada porque estavam dizendo que eu estou assediando passageiros, que estou com a barriga de fora, sendo que não é verdade. Estou muito chateada pois eles estão querendo que eu use calças estilo de homem e camisa também, não sou obrigada não é verdade? Tendo em vista que estou usando a roupa conforme normas acima citadas. Vou estar me “expondo ao ridiculo” visto que se eu colocar a blusa por dentro, vou estar mostrando minha barriga, meu quadril largo, me sentirei muito mal, o que
devo fazer?  Estou sofrendo uma discriminação?

Ass: Aline.

Sou a advogada Kelly Perez, colaboradora do site e te responderei.

Trabalhando como taxista não pode a empresa de taxi criar uma situação deflagradora de lesão à dignidade da motorista gordinha. Caso a empresa venha puni-la por algo pode entrar com ação trabalhista mais uma indenização “pela atitude mesquinha e torpe” da empresa.

As pessoas que sentirem em situação vexatória e ou discriminatória devem entrar na justiça pois a difusão nacional deste caso contribui para a formação de uma consciência contra a discriminação contra os gordinhos, haja vista, que Organização Mundial de Saúde vê a obesidade como uma doença.

A empresa de taxis deve respeitar as restrições que podem levar a motorista a situações embaraçosas e vexatórias, pois os(a) motoristas gordinhos(a) que não atingem as metas e regras não devem ser punidos e obrigados a passar por situações vexatórias, que faria com que a motorista no caso viesse a ouvir comentários ofensivos.

Não se pode averiguar a dignidade da pessoa humana aviltada. E caso a motorista sinta-se humilhada e exposta a situação vexatória cabe ação de dano moral, pois a materialidade do dano moral decorre do desrespeito ao patrimônio moral da suposta ofendida, independentemente de estar expresso em normas constitucionais ou infraconstitucionais ou de apenas decorrer dos princípios gerais do direito.

O dano moral neste caso estará claramente evidenciado, se além da vergonha e constrangimento de uma pessoa digna e honesta ser impedida de trabalhar em função de ter que usar roupas que iriam expor ao ridículo.Com efeito, dano moral puro é aquele que se esgota na lesão à personalidade. É o caso, por exemplo, do uso da imagem de alguém, expondo-a ao ridículo.

Melhor conversar com seu empregador e esclarecer que em função de ser gordinha não pode a motorista ser colocada ao vexame de usar roupas conforme o estabelecido logo, indiscutível que caso impuserem a motorista situação vexatória, em efetivo constrangimento, ferindo-o em valores de personalidade. Esta publicidade posta aos olhos dos circunstantes, naturalmente fere a alma, mostra-se dolorosa e prosta qualquer pessoa em face da impotência de contornar a situação.

Ademais o artigo 3º, IV da Constituição Federal é clara que ” o dever de promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”. Ser gordinho(a) não é uma situação vexatória mas expor esta situação ao ridículo torna a situação vexatória.

Petropolis- RJ

Olá, sou gordinha também, e se tiver algum advogado(a), peço que por favor me oriente, há 2 meses atrás, eu participei de uma promoção pra fazer demonstração de um brinquedo novo, o cliente, no caso a fábrica de brinquedos, só fez camisetas pequenas, o maior que ela fez foi de tamanho médio, e eu uso camiseta GG, óbviamente, e não servindo aquela camisa da promoção, eles me deram uma de promotor( um cargo acima do meu) eu usei, fui trabalhar tranquilamente, eis que alguns dias depois, mandaram me substituir, porque eu não estava trabalhando com a roupa adequada, jamais me senti tão humilhada em toda a minha vida, já que jamais havia me sentido discriminada. Gostaria de saber a opinião de cada um de vocês.Obrigada, e qualquer coisa, me escrevam, que todos os emails serão respondidos com muito carinho.